Ensaio : Texto literário breve , entre o poético e o didático , expondo idéias , críticas e reflexões morais e/ou filosóficas acerca de certo tema. Defesa de um ponto de vista pessoal e subjetivo sobre um tema , sem que se paute em formalidades como documentos ou provas empíricas ou dedutivas.
Manifesto : Declaração publica de razões que justifiquem certos atos ou fundamentos. Ato de manifestar um desejo , atitude ou repúdio.

O Blog é aberto a todos que quiserem participar. Envie o seu ensaio ou manifesto para ensaiosemanifestos@hotmail.com , não há restrições quanto a temas ou conteúdo , desde que tenha qualidade será publicado , com o nome do autor responsável e um endereço de e-mail para contato. Se preferir participe opinando : adore , deteste , apedreje ou insense.


terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O legado ironico do deus imperfeito


Por : Lord Vader

George Washington é parte inseparável da história americana , chamado , não sem motivo , de o "Pai da Pátria" , tamanha a sua participação na guerra da Independência dos Estados Unidos . O seu impressionante legado parece não ter fim : são incontáveis as cidades , parques , pontes , escolas , acidentes naturais , ruas que levam o seu nome . Seu rosto estampa , muito icônicamente , a cédula de um dólar , além de diversos selos postais. A própria capital do país , aquela agradável monstruosidade greco-romana , foi batizada em sua homenagem.
Mas existe um outro legado igualmente interessante envolvendo seu nome : mais de 90 % dos americanos batizados de Washington são negros . De fato Washington é o sobrenome mais comum dentro da população dos negros americanos. O fenômeno é tão extenso que na América de hoje, se alguém falar ao telefone com algum Washington que não conhece pessoalmente , certamente presumirá tratar-se de alguém negro. Na verdade muitos Washingtons americanos ficam surpresos ao descobrirem que existem pessoas brancas com este mesmo nome , e que sim , apenas por este fato , também sofrem discriminação dentro da racialmente complexa sociedade americana .
Sendo descendente direto de uma linhagem de ingleses , George Washington possuia a pele clara e os cabelos ruivos , e certamente o critério racial não foi o motivador desta avalanche de homenagens por parte dos negros americanos , ou , como eles medonhamente gostam de chamar/serem chamados por lá : africanos-americanos , um termo politicamente correto mas que no final das contas apenas evidência o quanto a questão racial é delicada dentro da nação mais poderosa do mundo.
Mas não era apenas a sua etnia que o distanciava dos negros . Washington foi um proprietário de escravos desde a idade de 11 anos (e o seria por toda a sua vida) , e em termos reais a escravidão era a base de sua fortuna , já que era um grande latifundiário que não poderia abrir mão desta cruel conveniência .





Embora tenha sido considerado um bom senhor de escravos (os alimentava dignamente e oferecia cuidados de saúde) , era comum em seus domínios o castigo físico e demais punições , como era costume na época . Em uma oportunidade Washington inclusive abusou de seu poder de presidente para recuperar um escravo fugitivo. Ao longo de sua vida Washington chegou a revelar para amigos intimos a sua objeção à escravidão , o que seria motivado não por razões nobres , mas simplesmente pelo fato de ter se tornado economicamente custoso manter um escravo após a guerra de independência . Nos
ultimos anos de sua vida proibiu a venda de escravos de sua propriedade sob o pretexto de não separar as famílias , e deixou em seu testamento o desejo de libertar suas centenas de servos apenas depois da sua morte e da morte de sua esposa , o que em termos práticos significa o mesmo que jamais ter tomado esta atitude.
Embora a relação conflitante de Washington com a escravidão jamais tenha sido segredo algum para ninguém , ainda assim , e desde muito cedo , os negros americanos o homenageiam ao batizar os seus filhos . O fato é que os negros americanos só puderam ser dignificados com um nome próprio , muitos anos mais tarde , apenas depois da guerra civíl americana , portanto tempo suficiente para que o mito de George Washington fosse disseminado e institucionalizado ao ponto de toda uma geração de negros resolver afirmar o seu status de americano "de fato" ao adotar e batizar seus filhos com o nome do pai da pátria que de agora em diante , oficialmente , fariam parte. Estava então estabelecida a ironia .

George Washington é por vezes satanizado , chamado de deus imperfeito por historiadores modernos que insistem no equívoco de julgar atitudes passadas sob o código de ética vigente em nossos dias . Heróico ou revolucionário , Washington foi antes de tudo um homem do seu tempo , e assim como muitos outros presidentes americanos , e como todos os demais latifundiários e influentes de sua geração , possuia escravos , muitos deles .
Talvez todo o ressentimento não declarado esteja no fato do tão festejado pai da nação jamais ter se manifestado publicamente contra a maior ferida histórica da sociedade americana , que ecoa violentamente até os nossos dias : a escravidão . O ressentimento pode ser ampliado ao se levar em conta que jamais o fez por medo que sua então jovem republica se fragmentasse por conta da questão escravocata , num prenúncio do pragmatismo que viria a determinar os rumos de uma nação que parece estar condenada a viver eternamente entre o sagrado e o profano.



Lord Vader
ensaiosemanifestos@hotmail.com


2 comentários:

  1. "Até onde você vai na vida depende de ser terno com os jovens,compadecido com os idosos,simpático com os esforçados e tolerante com os fracos e fortes.Porque em algum momento da vida você vai descobrir que já foi tudo isso."

    (George Washington)

    Parabéns pelo Espaço.

    ResponderExcluir
  2. Um tema difícil e polémico para início.
    Boa sorte.

    ResponderExcluir