Ensaio : Texto literário breve , entre o poético e o didático , expondo idéias , críticas e reflexões morais e/ou filosóficas acerca de certo tema. Defesa de um ponto de vista pessoal e subjetivo sobre um tema , sem que se paute em formalidades como documentos ou provas empíricas ou dedutivas.
Manifesto : Declaração publica de razões que justifiquem certos atos ou fundamentos. Ato de manifestar um desejo , atitude ou repúdio.

O Blog é aberto a todos que quiserem participar. Envie o seu ensaio ou manifesto para ensaiosemanifestos@hotmail.com , não há restrições quanto a temas ou conteúdo , desde que tenha qualidade será publicado , com o nome do autor responsável e um endereço de e-mail para contato. Se preferir participe opinando : adore , deteste , apedreje ou insense.


segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

O Elogio da Loucura e o ataque ao Cristianismo



Por : Lord Vader

Em virtude de trágicas circunstâncias históricas , durante a idade média , o pensamento europeu esteve sob a tutela da igreja católica por centenas de anos , e apenas em seu período final , durante o renascimento cultural , o antropocentrismo trouxe de novo o homem para o centro do pensamento e da vida . Era essa a proposta do humanismo , corrente filosófica que , em virtude de sua aversão ao sobrenatural e ao transcendente , pode ser considerada o marco zero que viria originar diversas vertentes posteriores do pensamento humano : iluminismo , racionalismo , empirismo , ateismo e marxismo , apenas para citar alguns.
Foi dos primórdios do humanismo que emergiu a figura deste pensador satírico , ácido , simpático e sobretudo iconoclasta : Erasmo de Rotterdam . Notório humanista , Erasmo foi um grande crítico dos absurdos de seu tempo , a virada dos século XV e XVI , quando a igreja ainda dava as cartas dentro da organização social . Surpreendentemente Erasmo era ele mesmo um teólogo , porém a sua ocupação deve ser interpretada mais como um resultado das circunstâncias do que como uma vocação propriamente dita .

Tendo se tornado órfão muito cedo , acabou dentro de um monastério , assim como muitos meninos de então . Nos seus anos de seminário , mesmo sabendo que não tinha uma vocação verdadeira para a vida de sacerdote , levou a coisa adiante para não decepcionar a sua família , passando a maior parte do tempo se dedicando a arte e a pintura . Durante a sua formação , observou atentamente o estilo de vida dos eclesiásticos , percebendo a discrepância entre suas atitudes na vida cotidiana e seus discursos santos.
Ao concluir sua formação , conseguiu uma dispensa para não celebrar missas ou serviços religiosos. Iria aproveitar a oportunidade de sua posição e se dedicar unicamente aos estudos dali em diante . Por conta de seu temperamento curioso e introspectivo iria devorar com avidez diversos exemplares , livros e tratados , desde a antiguidade clássica , atingindo então uma notável erudição , assim como uma grande autoridade intelectual . Dessa maneira , passou a ser progressivamente requisitado por personalidades ilustres e magnatas , que desejavam a companhia de um estudioso tão ilustre .
Foram exatamente estas pessoas , poderosos mecenas , que iriam custeá-lo e permitir o seu continuado aprimoramento por diversos centros de estudo pela Europa.

De sua pena saiu uma pequena (em tamanho) jóia : O Elogio da Loucura . Um tratado , sagaz e provocativo , cuja leitura me agradou e surpreendeu bastante . Escrito pela "deusa" loucura em primeira pessoa , e repleto de referências , o texto faz uma arrasadora crítica ao status quo de seu tempo (e de muito adiante !) , atacando sobretudo a medíocridade da existência , ao afirmar , irônicamente , que todas as ações do homem não passam de simples loucura , tolice .
Erasmo compara a humanidade à um enxame de insetos em combate mútuo , constantemente nascendo , caindo e morrendo . Um animal insignificante e condenado à uma vida breve e ridícula  , à merce de guerras , epidemias e catástrofes . Afirma categoricamente que os ignorantes são mais felizes e bem sucedidos , já que aqueles que escolhem uma cultura autêntica se tornam cientes de sua triste realidade , se transformando em seres frágeis e tristes .
Segue tecendo comentários mordazes sobre o estado , sobre o casamento , os deveres de esposa , os filósofos e tantas outras pequenas digressões , até chegar , ao ponto mais interessante e atraente da obra ao meu ver : o ataque ao catolicismo , não apenas no aspecto de religião institucionalizada , mas também ao próprio cristianismo em si .





 Erasmo não poupou nem a figura papal , pelo contrário , afirma que o papa nem sequer é salvo por Cristo pois caso o fosse doaria a sua imensa riqueza e não cobraria impostos e taxações sob as indulgências . Os sacerdotes para ele não passavam de amantes da boa vida , soberbos admiradores da honraria e do dinheiro. A Igreja , como intituição , Erasmo acusa de estar muito distante da proposta simples original , e da maneira como se encontrava , assumia um papel de vilã que lucra demais com guerras , rituais e cerimônias desnecessárias . No campo das crenças pessoais , ( de maneira tão relevante ainda atualmente ) , afirma que crer em almas penadas , inferno , milagres , e demais superstições são hábitos de pessoas ignorantes e sem instrução . De loucos .
Acusa os teólogos (inclusive o sacrossanto São Paulo) de manipularem as escrituras ao seu bel prazer e interesses próprios , até o ponto de se contradizerem. Citando o mesmo São Paulo , garante que a loucura não escapa nem ao próprio Deus ("o insensato de Deus é mais sábio do que os homens"). Erasmo cita algumas passagens do novo testamento que testificam o apreço de Deus pai e seu filho Cristo pelo vulgo ignorante . Ressalta que Cristo chama de ovelhas seus seguidores destinados à vida eterna , lembrando que não existe animal mais estúpido que este . Cita Aristóteles e sua expressão "caráter de ovelha" , para designar os inéptos e obstusos , lembrando depois que Cristo se declara o pastor deste rebanho.
Erasmo nos lembra além disso que Cristo valeu-se de apóstolos grosseiros e ignorantes  , aos quais exortava à seguirem o exemplo dos lírios , do grão de mostarda e dos passarinhos , seres completamente desprovidos de inteligência  . Para ele , no mesmo princípio se inspira Deus , que proibiu o fruto da árvore da vida , como se o conhecimento fosse o veneno da felicidade .
Com uma observação históricamente relevante e importante , nos lembra que o cristianismo tem um forte ponto de contato com o platonismo : ambos acreditam que a alma está presa ao corpo , num empecilho à contemplação da verdade . Com base na mesma idéia Nietzsche iria , séculos depois , discorrer longamente sobre o caráter necrofílico do cristianismo no seu sublime "Anticristo" .

As idéias de Erasmo causaram em sua época consternação e estranheza , e , dizem , serviram como fonte de inspiração à reforma protestante liderado por Lutero , ícone da cultura alemã e notório e odioso anti-semita.
Sem tomar partido , Erasmo seguiu adiante (mais tarde defenderia o catolicismo) , acusado de heresia mesmo sendo um idealista do evangelho e ainda cristão à sua maneira (um proto-deísta ?) , refletindo , questionando e evidênciando a demência dos humanos . Erasmo tocou em questões profundamente relevantes e dolorosas ao seu tempo , e que lamentavelmente , continuam vivas e atuais  , tanto quanto foram no tempo deste notável humanista.


Lord Vader
ensaiosemanifestos@hotmail.com


2 comentários:

  1. "Há sempre alguém que resiste... há sempre alguém que diz não!"

    ResponderExcluir
  2. Adorei o seu ensaio. Crenças e dogmas desde sempre questionados e negados. Muito bom. Fiquei curiosa de saber da loucura de Erasmo.

    ResponderExcluir